Colocando um ponto mais fino: Inge Jacobsen entra na semana da moda


  • A imagem pode conter Vestuário Vestuário, Rosto e Dedo de Pessoa Humana
  • A imagem pode conter Planta Decoração da casa Pessoa humana Sala Sala de estar Interior Flor Flor Móveis Alimentos e refeições
  • Esta imagem pode conter Móveis Humanos e Pessoais

“Trata-se de usar métodos tradicionais, mas dentro de um contexto moderno”, diz o artista dinamarquês-irlandês Inge Jacobsen, 24, de sua comissão inaugural de ponto cruz para a marca dinamarquesa de joias e estilo de vida Georg Jensen. “Muitas das peças Georg Jensen ainda são feitas à mão na Dinamarca e todas as minhas peças são feitas à mão.” Jacobsen está se referindo às suas oito fotografias bordadas - quatro peças totalmente costuradas de 9 x 9 polegadas e quatro peças parcialmente costuradas de 71 x 47 polegadas - do modelo Freja Beha Erichsen que foram criados para a recente campanha publicitária da empresa e serão exibidos nas lojas durante as semanas de moda de Copenhague, Nova York e Londres.

Inspirada pelas tapeçarias bordadas do tempo de guerra que herdou de sua avó enquanto estudava fotografia conceitual na Kingston University, Jacobsen perfurou capas de revistas e histórias de moda, em vez de telas, e trouxe o passatempo quase esquecido do ponto-cruz para um contexto totalmente moderno. Seu trabalho desembarcou em sites de todo o mundo e garantiu a ela esta primeira grande comissão. “Essas imagens eram maiores do que qualquer coisa em que eu já havia trabalhado antes”, lembra o artista sobre o árduo processo.

“Houve alguns pontos de descostura e remontagem porque é difícil dizer quais cores funcionam, até que uma área consideravelmente grande esteja pronta”, diz ela. No geral, o projeto levou Jacobsen - e dezenove alunos da Royal School of Needlework em Hampton Court Palace - cerca de 2.000 horas para ser concluído, mas Jacobsen acredita que o efeito final valeu a pena o esforço: “O bordado é uma parte tão importante da indústria , ”Ela reflete. “E costurar uma fotografia traz a imagem à superfície para que as pessoas olhem para ela, não através dela.”